sexta-feira, 6 de novembro de 2009

intensidade afetiva dos pés quando sinceros


inverta a lógica afetiva
da ordem mundana

ânus pro céu
e cabeça pro chão

pronto

agora todas as cabeças
são uma só:
o mundo

e pés aéreos
brincam de flutuar as nuvens
regendo a ordem imaginária
das chuvas

sim,
quando se brinca de chuva
não há corpo que não molhe a imaginação.

3 comentários:

Carneirinho disse...

e suas letras fertilizando a minha imaginação com gosto de pingos de chuva. somos terreno para a sua poesia.

Gabriela Maria disse...

"ânus pro céu(...) todas as cabeças são uma só." vc é foda! muito foda!

fabiorezende disse...

hehehe ordem mundana foi bom.
Curto muito seus textos Zé.

Bjo do tio.