domingo, 28 de dezembro de 2008

nadifica


Energia dos tempos
caiu estrondosa
perfurando por cima
um furo maior que eu.
A superfície de pressão
deveria esmagar
mas contrariou a física
e perfurou
inteiro.

Agora sou um furo,
não existo corporeamente
sou pra dentro,
do avesso
carne na parede do furo.
O que há de fora
é o que ainda vai cair lá dentro
um buraco cheio
de nada.

O nada preencheu o vazio,
e agora é tudo substância
há nada em mim
por todos os cantos.
Nesse buraco sem fim,
não há um espaço vago
o nada me inflou
pra dentro
pra baixo
e qualquer um pode cair em mim
e se afundar
sempre acompanhado de nada,
substancialmente nadificado.

Eu e nada
nos confundimos,
sou o nada
o nada me é
nos sorvirmos,
e somos brancos,
de luz.
Todas as cores
estatelaram-se pra dentro desse furo
(deu branco)
tudo se esmorecerá lá dentro
e o nada será tudo,
deixo de ser
e sou
me fundindo ao nada.
derretendo-me
incorporando-me
num fluxo de luz incessante.

Existo meu nada.

Um comentário:

Luana disse...

Recadinho:

Alucino Maluco, onde vc achou esse tal de J. Macalé? Para de fuçar nos discos de vinil dos seus avós! Sabia que esse cara é o que cantava o Hino Nacional!?!?!? Quase fui à lua para achar a música, mas achei… rs. Ela não eh bemmm minha cara, mas gostei da melodia e do instrumental que é MARAVILHOSO!

Valeu o lembrete.

2009 vai bombar!!!!
Muita poesia, muita loucura, muita dança esquisita, gargalhadas, pensamentos loucos, banhos de chuva, andanças pela noite, filmes românticos, beijos apaixonados, toques e arrepios. Que 2009 seja um ano de paz e perceverança...

Abraços

Lulu