terça-feira, 6 de outubro de 2009

traço incidental


sabe quando...

em uma extremidade
de um fio
uma formiguinha plenitude
grávida de apetite
puxa para si
no outro extremo do fio
uma humanidade doente
grávida de fome?

então...

5 comentários:

Rene Serafim - "Juninho" disse...

Ê formiguinha...

A Bailarina disse...

Tenho fome de letras, poesia, sons,palavras, gestos...
Tenho fome de carinho, de respeito, tenho fome de certos exageiros...
Tenho fome de afeto.

Adorei!

Contemplação ativa!

Abraços

Katrina disse...

vida, isso

Carneirinho disse...

acho que sei viu...
bjinho

ana e geraldo disse...

Poder ser poeta é poder ser gente, pessoa, mundo. Tudo vira realidade!
Tudo se confude no inconfudivel emaranhado de pensamentos. Tudo se dirige, direciona, segue, vive.