sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

algum lugar bem próximo


circulando pela autopista multicolorida
de minhas pirações matutinas

no limiar do acordar
não me atrevi a abrir os olhos

pesquei algumas idéias
que brincavam com o estepe dos vazios da alma

sabe o que disseram?

coma fruta madura com os pés na terra
as unhas devem ter barro incrustado
nada de preocupação com limpeza
a terra nunca foi sujeira

é néctar denso, suave pisar

a pureza de uma poesia não pensada
embriagou-me com palavras poucas
tão leves, evaporaram na memória

ainda de olhos fechados
preparei a matula
e saí

dormi
e nunca mais voltei
desmemoriado

sem destino
e sorrindo muito

Um comentário:

Camilo Alves do Nascimento disse...

Diogo, cara, sem sacanagem, assite isso, e depois me fala qq coisa.

http://emcapsulas.blogspot.com/2010/12/week-before-dave-mckean.html